Postagens com a tag ‘Fundação Municipal de Cultura e Turismo’

Feira da Freguesia: cultura e diversão para todas idades no Centro Histórico de São José

A próxima edição do evento será no segundo domingo de outubro, dia 12

O Boi Brasão, do grupo do Eira Meu Boi, foi escolhido como O Mais Belo Boi, na Feira da Freguesia

O Boi Brasão, do grupo do Eira Meu Boi, foi escolhido como O Mais Belo Boi, na Feira da Freguesia

Repleto de crianças, jovens e adultos, o Centro Histórico de São José esteve em festa neste domingo (14). A programação da Feira da Freguesia começou às 11 horas e, durante todo o dia, diversas atividades animaram o público. E não faltou alegria e empolgação durante as apresentações artísticas no palco central, em especial, com o Concurso do Mais Belo Boi, Bernunça e Maricota.

Organizada pela Fundação Municipal de Cultura e Turismo, o projeto busca valorizar a cultura popular e promover a revitalização da região histórica da cidade.

Da competição, para escolher os mais belos personagens folclóricos, participaram 16 concorrentes nas três categorias. O “Boi Brasão” (Luzair Lauro Martins) foi escolhido o mais belo Boi de Mamão, com 237 pontos, e a “Maria Fandangueira” (Luzair Lauro Martins) venceu como a mais bela Maricota, com 248 pontos. A disputa pela mais bela Bernunça foi acirrada, já que dois participantes ficaram empatados. Mas, com o voto popular, venceu a “Kika” (Luiz Antonio Patrício). Como prêmio, cada vencedor recebeu R$ 2 mil. “É um incentivo para a manutenção dos grupos, que precisam sempre de ajuda para continuar”, destacou o coordenador do Eira Meu Boi, Luiz Antônio Patrício, de Bombinhas (SC).

A disputa pela Mais Bela Bernunça foi a mais acirrada, mas Kika acabou vencendo no voto popular

A disputa pela Mais Bela Bernunça foi a mais acirrada, mas Kika acabou vencendo no voto popular

Outro destaque da programação foi o Maracatu Arrasta Ilha, com o tradicional ritmo pernambucano. Para Alexandra Alencar, integrante e coordenadora da dança, o evento é uma oportunidade para aproximar os grupos da comunidade. “Encontramos aqui um público bem heterogêneo”, constatou.

Para todas as idades

O clima da praça é ideal para família, por isso, Graziela Silva e o marido Alexandre Silva trouxeram os quatro filhos para as atividades. Enquanto os pais cuidam das menores, de três e cinco anos, os outros dois aproveitam os brinquedos infláveis, a contação de histórias e os espaço ao ar livre. “Para nós é bastante relevante essa feira, porque voltamos a ter um convívio na praça, fora dos shoppings”, avalia Graziela.

Maria Fandangueira alegrou o público e foi escolhida como a Mais Bela Maricota

Maria Fandangueira alegrou o público e foi escolhida como a Mais Bela Maricota

Com 91 anos, Erondina Maria Schimdt Ramos já viu muito coisa na Praça Hercílio Luz, pois nasceu e se criou ali, ao lado da Igreja Matriz de São José. Animada, ela saiu de casa, depois do almoço, para aproveitar o movimento e conferir de perto o evento.

O presidente a Associação Centro Histórico, José Ricardo Koerich, também estava presente em mais um “domingo na praça”, como gosta de chamar. “Não podemos deixar isso aqui morrer. Precisamos ocupar os nossos espaços públicos com pessoas de bem”, destacou, ao parabenizar a Fundação pela organização.  

O público que compareceu à Praça Hercílio pode conferir atrações musicais, brinquedos, contação de história e feira de artesanato

O público que compareceu à Praça Hercílio pode conferir atrações musicais, brinquedos, contação de história e feira de artesanato

 

A jovem Luiza Teixeira, de 19 anos, se animou quando chegou à praça. “Eu vim prestigiar uma amiga que se apresentou e não sabia do tamanho desse evento”, assinalou. Ela e outras colegas aproveitaram para visitar as barracas da feirinha e também comer nos carrinhos de alimentação. “É um domingo diferente e eu super apoio”, afirmou. Assim como a Camilla Medeiros que comemorou a iniciativa. “Na maioria das vezes precisávamos ir para outros lugares para encontrar uma feirinha ou eventos culturais no domingo. Agora, encontrei aqui, bem pertinho da minha casa”, destacou a moradora da Ponta de Baixo.

Artesanato

Representantes da cultura do hip-hop, soul e pop também participaram do evento, em uma prévia do no Festival de Culturas Urbanas de São José, que acontece em outubro

Representantes da cultura do hip-hop, soul e pop também participaram do evento, em uma prévia do no Festival de Culturas Urbanas de São José, que acontece em outubro

Este mês, a Associação São José Feito a Mão trouxe o trabalho de 25 artesãos da região para expor. “A maioria dos profissionais trabalha em casa e precisa desses espaços para divulgar o seu trabalho e vender. A parceria é ótima, a festa é muito bem organizada. Torcemos para que a ideia continue”, reforçou a presidente da Associação, Patrícia Pavanati. Aliás, a próxima edição da Feira da Freguesia já tem data marcada, será no segundo domingo de outubro, dia 12.

Culturas Urbanas

Para dar uma prévia das apresentações que ocorrerão no Festival de Culturas Urbanas de São José, diversos jovens apresentaram estilos de dança de hip-hop, soul e pop. O evento será de 17 a 19 de outubro, no Centro Multiuso de São José, e oferecerá workshops e mostras competitivas e artísticas. Mais informações no site: www.festivaldeculturasurbanas.com.br.

Fotos: Daniel Pereira – Secom/PMJS

Mostra “Sobre Papel” será aberta será nesta terça-feira (2) no Museu Histórico de São José

Com o apoio da Fundação Municipal de Cultura e Turismo, a exposição reúne obras com diversas técnicas artísticas

sobre papelMostrar as diversas possibilidades artísticas do papel. Foi este o desafio feito pela Associação Catarinense de Artistas Plásticos (ACAP) a 17 artistas locais. O público pode conferir o resultado a partir desta terça-feira (2), no Museu Histórico de São José. A abertura da exposição “Sobre Papel” está marcada para as 19 horas, com entrada gratuita.

A mostra reúne desenhos, gravuras e aquarelas com temas diversos. Cada artista teve a oportunidade de expor uma obra que, obrigatoriamente, foi feita em papel. A riqueza da exposição está justamente na pluralidade das técnicas utilizadas por cada um. “É uma verdadeira miscelânea”, garante a artista Eliane Veiga, que assina uma gravura na exposição. 

Para ela, que participa da ACAP há mais de 20 anos, o Museu é um lugar nobre no Centro Histórico de São José. “Adoro aquele espaço e, inclusive, já tive a oportunidade de expor individualmente lá”, considera.

O diretor do Departamento Cultural da Fundação Municipal de Cultura e Turismo de São José, Rogério Martins, destaca que além da exposição temporária, o Museu também possui um acervo que pode ser visitado pelo público. “Nosso projeto é ampliar ainda mais o nosso espaço para manter uma agenda exposição contínuas e consolidar uma galeria municipal”, afirma.

No próximo ano, a ACAP completa 40 anos de atuação e, desde que foi criada, a entidade busca congregar os artistas catarinenses para divulgar, promover e expor as artes plásticas. “Estamos organizando um livro para reunir toda nossa história”, antecipa Eliane.

A mostra “Sobre Papel” pode ser vista pelo público até o dia 16 de setembro, de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. A entrada é gratuita.

Serviço

O quê – Exposição “Sobre Papel” – desenho, gravuras e aquarelas

Quando- De 2 a 16 de setembro, das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira

Onde – Museu Histórico de São José (Rua Gaspar Neves, 3175, Centro Histórico)

Mais informações: (48) 3247-0059

Concurso escolherá o mais belo Boi, Bernunça e Maricota de São José

Os vencedores serão anunciados no dia 14 de setembro, na segunda edição da Feira da Freguesia

DivulgaçãoPara valorizar a tradição e os artistas locais, a Fundação Municipal de Cultura e Turismo de São José (FMCT) promove o primeiro Concurso do Mais Belo Boi, Bernunça e Maricota. Podem participar moradores da Grande Florianópolis e, para cada categoria, o vencedor receberá troféu e prêmio de R$ 2 mil. O resultado será anunciado no dia 14 de setembro, na segunda edição da Feira da Freguesia, no Centro Histórico de São José.

As inscrições podem ser feitas no site da Prefeitura ou diretamente na sede da FMCT (Rua Padre Macário, 10, Centro Histórico de São José) até o dia 5 de setembro. Cada participante poderá se inscrever apenas uma vez para concorrer ao mais belo boi ou a mais bela bernunça ou a mais bela maricota. Todos os participantes receberão um “certificado de participação”, emitido pela Fundação.

Segundo o superintendente da Fundação Municipal de Cultura e Turismo, Carlos Eduardo Martins, esta é mais uma ação buscando a valorização da cultura local. “Queremos a participação de toda sociedade, comunidades, associações, artistas, músicos, grupos de representação e manifestações folclóricas, além de buscar revelar novos talentos”, assinala.

Os quesitos de evolução do personagem (coreografia), beleza, originalidade, confecção da vestimenta e tempo de apresentação serão avaliados pelo júri. Para isso, os competidores participarão de um desfile individual (3 minutos) e de um desfile geral (5 minutos).

Para outras informações consulte o Regulamento e a Ficha de Inscrição.

Inscrições para o Festival de Culturas Urbanas são prorrogadas até 26 de setembro

O evento, que busca valorizar manifestações artísticas, foi transferido para o mês de outubro

festival11Para melhor atender melhor os participantes e qualificar a infraestrutura do Festival de Culturas Urbanas, a Fundação Municipal de Cultura e Turismo (FMCT) transferiu a data do evento para os dias 17, 18 e 19 de outubro. Assim, as inscrições foram prorrogadas até o dia 26 de setembro. A iniciativa promete movimentar e reconhecer a cultura do hip hop, grafitagem e artes urbanas do município.

Projeto Festival de Culturas Urbanas tem caráter único no município e será realizado num formato de grande valor e impacto sociocultural para cidade. A Mostra pretende viabilizar ao público em geral, uma série de eventos que pretendem ajudar a consolidar as artes e culturas urbanas na cidade.

 “Ressaltamos o convite a todo o público, profissionais e participantes, para a primeira edição do Festival, evento gratuito e com R$ 13 mil em premiação”, reforça o superintendente da FMCT, Carlos Eduardo Martins.

Os interessados em participar do projeto podem se inscrever no site http://festivaldeculturasurbanas.com.br. Além das apresentações, também é possível se inscrever para os workshops, que serão realizados durante os três dias de evento, no Centro Multiuso de São José. ​

Dia do Folclore é comemorado com Boi de Mamão e contação de histórias em São José

Durante o dia, várias atividades estão sendo realizadas na Praça Hercílio Luz, no Centro Histórico

O Grupo Folclórico São José da Terra Firme divertiu a criançada com a encenação do Boi de Mamão

O Grupo Folclórico São José da Terra Firme divertiu a criançada com a encenação do Boi de Mamão

Um dia lindo de sol, uma praça cheia de crianças e o desejo de manter as tradições de São José, de geração em geração. Nesta sexta-feira, 22 de agosto, é o Dia do Folclore e a Fundação Municipal de Cultura e Turismo (FMCT) não poderia deixar de comemorar. Para marcar a data, várias atividades culturais estão sendo realizadas na Praça Hercílio Luz, no Centro Histórico de São José.

A professora da Educação Infantil Maria Estela Schneider Vianna aproveitou para levar as crianças para acompanhar a programação. “Folclore é a cultura popular, que anda bastante esquecida pelas nossas crianças”, lembra Maria Estela. Além da diversão, para ela, as brincadeiras e histórias ajudam no desenvolvimento corporal e na criatividade dos pequenos.

Atividades culturais marcam o Dia do Folclore na Praça Hercílio Luz, no Centro  Histórico de São José

Atividades culturais marcam o Dia do Folclore na Praça Hercílio Luz, no Centro Histórico de São José

Para os alunos do CEI Maria de Lourdes, as atividades têm um valor ainda maior. Durante a semana eles já trabalharam em sala o tema e, agora, junto com outras crianças, podem interpretar melhor o valor desta comemoração. “É uma forma de não deixar morrer nossa cultura”, avalia a professora Patrícia Gonçalves.

O ponto alto da manhã foi a apresentação do Grupo Folclórico São José da Terra Firme, que há quase 12 anos apresenta a dança do “Boi de Mamão”. No enredo, a história cômica de um boi que adoece, morre e ressuscita. Até os moradores conseguiram aproveitar. Geane Ramos, por exemplo, foi até a Praça depois que ouviu de casa a música. “Adoro Boi de Mamão”, confessa. Ela trouxe junto o netinho de apenas um ano. Atento e sorridente, a avó enxerga nele a esperança continuar a tradição.

O Dia do Folclore é comemorado no dia 22 de agosto

O Dia do Folclore é comemorado no dia 22 de agosto

Foi passando pelo local, com outros colegas, que a estudante Camila Jeremias Ferreira, de 15 anos, lembrou que hoje era Dia do Folclore. Mesmo assim, ela gostou da iniciativa de preservar a tradição e “acha que devemos manter as comemorações”.

Durante à tarde, a partir das 14 horas, haverá ainda pau de fita, oficina de oleiros, contação de histórias, pão por Deus e brincadeiras de roda. Segundo a FMCT, são esperadas cerca de 300 crianças durante todo o dia. 

 

 

O Dia do Folclore

A tradição da Olaria também chamou a atenção dos pequenos

A tradição da Olaria também chamou a atenção dos pequenos

A data de 22 de agosto foi definida, por lei, como Dia Nacional do Folclore em 1965. O objetivo é valorizar as histórias e personagens do folclore brasileiro. Em todo o país, são lembradas lendas e histórias, com personagens como o saci, a iara, o curupira e a mula sem-cabeça. No litoral de Santa Catarina, também é destacada a cultura de base açoriana, com personagens como o boi de mamão, a bernunça, a Maricota, a tradição da olaria e do pão-por-Deus.

A palavra folclore é derivada das palavras “folk e lore”, que significam povo e conhecimento, respectivamente. O dia 22 de agosto foi escolhido para a comemoração por que foi nesta data que o arqueólogo inglês William John Thoms publicou pela primeira vez este termo em uma revista inglesa.

A Maricota também participou da festa

A Maricota também participou da festa

Fotos: Daniel Pereira – Secom/PMSJ